A poesia em Angola: Traçando uma linha do tempo

pasted image 0 (1)

Por Luisa Ghidotti Souza

Ora então

bom dia minha gente

sadia

Aqui vai o meu bom dia enorme

polvilhado em toda a dimensão

da hora verdadeira em que nós somos gente

com toda força de todos os caminhos

Bom dia por aí

cheio da beleza de tarefas de alegria

e senso positivo

rigorosamente positivo

tal como este instante de sol que nos abraça

neste bom dia apanágio

neste gesto sempre eterno

corre corre envolve tudo

no tudo deste bom dia

João Abel, Bom dia

O livro Antologia lírica angolana: Roteiro mínimo foi organizado pelo professor de literatura africana Francisco Soares e compreende um resgate histórico da poesia angolana, criando um espaço teórico que delineia a formação da poética no país desde seus primeiros registros disponíveis.

Soares inicia seu percurso pelo século XVII, que apresenta “os primeiros sinais de literatura escrita e da existência de autores e leitores” em Angola. O acesso às produções desse período é bastante limitado, uma vez que, além da escassez de material produzido, a maioria provém de contexto religioso. É sabido que nesse século houve, em Angola, vários poetas, pregadores, pintores, músicos e intelectuais que hoje desconhecemos. Muitos, por falta de fontes, outros, por falta de consulta às raras fontes existentes. Ainda assim, a obra apresenta uma amostra da poesia angolana nesse momento inicial na formação da lírica no país.

Do século XVIII não há nenhum documento literário no qual seja possível se basear para a realização de uma análise do que se produziu na época; muitos papéis se perderam ao longo do tempo, e o que está disponível se encontra nos arquivos da Igreja à espera de revelação. Já no século XIX, a produção literária em Luanda é abundante e marca a chegada da “lírica em verso à tipografia e ao mercado livreiro”.

O século XX em Angola é marcado pelo avanço do colonialismo, o que influenciou negativamente a produção literária no país. 

O avanço do colonialismo subsequente à Conferência de Berlim, suportado pelo Banco Nacional Ultramarino e pela espoliação de proprietários locais em nome do combate ao nativismo, acompanhada por sua proletarização mesmo no funcionalismo público, foi asfixiando aos poucos aquela comunidade. Perdendo os meios de publicação (tipografias, nomeadamente), limitada no seu poder de compra, essa comunidade não adotou as soluções estilísticas avançadas da poesia global. (Tomás Vieira da Cruz, p. 38) 

Nesse contexto, Soares destaca que as inovações em literatura em Angola se davam pelos colonos, trazendo nomes como o do português Tomás Vieira da Cruz para exemplificar as produções. Geraldo Bessa Victor, por sua vez, é destacado como escritor africano de renome que foi membro da Liga Nacional Africana e escreveu poesia autenticamente angolana.  

Francisco Soares destaca que o início da primeira geração nacionalista se deu em meados do século XX, momento da consolidação do ciclo literário no país. Essa discussão ocupa a segunda parte do livro, enquanto a terceira e a quarta partes se dedicam à segunda e à terceira gerações nacionalistas, mobilizando diversos poetas e poetisas que constroem o mosaico da literatura angolana em sua autenticidade.

A obra conta com 32 entradas, cada uma correspondendo a um autor diferente. A cada título há uma contextualização histórica e a descrição de fatores que Soares considera relevantes para o entendimento do período estudado. Antologia lírica angolana traz ainda uma amostra de poemas dos autores selecionados. 

Assim, este livro apresenta a formação do sistema literário angolano até os momentos que antecederam a independência. O leitor interessado em pensar a crítica literária encontra nele a oportunidade de expandir seus conhecimentos em literatura em língua portuguesa, a qual, afinal, não se resume a Brasil e Portugal.

Para saber mais sobre o livro Antologia lírica angola – Roteiro mínimo, acesse o nosso site!

Capa_Antologia lírica angolana_14 x 21 cm.indd

Antologia lírica angola – Roteiro mínimo

Organizador: Francisco Soares

ISBN: 978-85-268-1508-7

Edição: 1a

Ano: 2019

Páginas: 160

Dimensões: 14×21

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s