O crítico Leminski

Ensaios e anseios blog

Por Thaissa Ribeiro

 

Já ouviu falar de Leminski? Se a resposta foi “sim”, pegue um café e venha comigo porque tenho uma novidade muito boa. Agora, se a resposta foi “não”, prepare-se para conhecer o escritor que fará você comprar seu próximo livro!

Paulo Leminski nasceu em 1944 em Curitiba, cidade na qual se empenhou a escrever grande parte de sua obra. Com 11 anos se matriculou no Mosteiro de São Bento, em São Paulo, para iniciar sua vida monástica, mas não tardou a retornar à sua cidade natal. Contudo, o período em São Paulo foi essencial para iniciar os estudos no que se tornaria central em seu futuro: a poesia.

Autor de extensa e variada obra, desde que era jovem seu estilo chamou atenção, por seus poemas breves, trocadilhos, haicais ou brincadeiras com ditados populares. Diferentemente do que muitos pensam, ficou conhecido entre os críticos como um profissional e artista de amplo leque de interesses: atuou como letrista – gravado por Caetano Veloso, Ângela Maria, Moraes Moreira –, ministrou aulas de português em cursos pré-vestibulares, foi editor em diversos jornais além de trabalhar com publicidade. Também traduziu importantes textos da literatura mundial, mas acabou se destacando como escritor, transitando pelos gêneros do conto, do ensaio, da canção, do romance e da crítica.

O próprio autor fez uma seleção de textos intitulada Ensaios e anseios crípticos – discutindo temas como criação, cultura, arte, poesia e linguagem –, que foi publicada em dois volumes na década de 1980. Com a intenção de recolocar esses textos em circulação, a Editora da Unicamp os reuniu e lançou Ensaios e anseios crípticos num único volume, dividido em três partes.

A primeira traz textos que mostram as noções teóricas do escritor do que ele pensava sobre a vida e suas buscas, como ele mesmo escreve: “Estes anseios são incursões conceptuais em busca de sentido”. Também aborda criticamente o que estava a seu redor, como, por exemplo, os dois movimentos em vigor, no Brasil, na década de 1970: a poesia marginal e a arte pela arte.

Já na segunda parte estão os textos voltados à análise de obras e de autores tão díspares como Guimarães Rosa, Euclides da Cunha, Dante Alighieri, John Lennon e Beckett, entre outros. Por fim, na terceira parte encontram-se oito textos publicados originalmente em um volume organizado em 1997 por Alice Ruiz e Aurea Leminski, esposa e filha do autor, respectivamente. Esses textos se diferem do resto da obra por possuírem caraterísticas de manifesto e são um presente para o apreciador do poeta. Leminski faleceu em 1989, na sua cidade de nascimento.

O livro Ensaios e anseios crípticos é uma ótima pedida para quem quer conhecer um pouco mais do lado crítico de Leminski. Não perca a oportunidade. https://bit.ly/2Cz3piP

 

ensaios e anseios capa

Ensaios e anseios crípticos

Autor: Paulo Leminski

ISBN: 978-85-268-0974-1

Reimpressão: 1ª – 2018

Edição: 2a

Ano: 2012

Páginas: 384

Dimensões: 14 x 21

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s