A sorte e o jogo do bicho pelo olhar da história

leis da sorte destaque

Por Thaissa Ribeiro

Com o fim da escravidão no Brasil e o advento da República, por volta de 1890,
turbulências econômicas começam a pipocar. O barão de Drummond, a ponto de perder o seu zoológico, pede permissão ao governo municipal do Rio de Janeiro para operar um novo jogo lotérico e, com o lucro, tirar seu patrimônio de perigo. Assim nascia o Jogo do Bicho.

O sucesso foi gigantesco e não tardou para sair do controle, caindo na ilegalidade.

Com personagens intrigantes e ardilosos, a historiadora Amy Chazkel refaz a trajetória
das loterias clandestinas na capital carioca no livro Leis da sorte, dando especial destaque ao surgimento e à ebulição do aclamado Jogo do Bicho. Apresenta ao leitor a grandiosidade dessa iniciativa que teve o efeito de provocar algum cinismo por parte da polícia carioca e acabou sendo considerada uma das “instituições” mais confiáveis e dignas de crédito do cotidiano.

Publicado em 2011, ganhou o prêmio de melhor livro pela Law and Society Association e
pelo New England Council on Latin American Studies, e menção honrosa, na categoria de
melhor livro sobre o Brasil, pela Brazilian Studies Association (Brasa).

Confira em: https://goo.gl/51Wby7. 

leis da sorte

 

 

Leis da sorte – O jogo do bicho e a construção da vida pública urbana

Autor: Amy Chazkel

ISBN: 978-85-268-1085-3

Edição: 1

Ano: 2014

Páginas: 360

Dimensões: 16×23

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s